Democracia pode desaparecer na Grécia, Espanha e Portugal !?

DEMOCRACIA em Portugal, Grécia e Espanha, pode desaparecer… Quem afirmou tal, foi o Durão Barroso…

A democracia poderia entrar em colapso na Grécia, Espanha e Portugal “,” a menos que sejam tomadas medidas urgentes para combater a crise da dívida, advertiu o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso.

A União Europeia lança um pacote de resgate de emergência, bilhões de libras para a Espanha, países endividados poderiam ser vítimas de ditadores, adverte CE-chefe “Visão apocalíptica”, que em alguns estados sem dinheiro.

A democracia poderia entrar em colapso na Grécia, Espanha e Portugal “,” a menos que sejam tomadas medidas urgentes para combater a crise da dívida, advertiu o chefe da Comissão Europeia.

Em uma delas, dirigida a dirigentes sindicais num briefing extraordinário pintado pelo Presidente da Comissão, José Manuel Durão Barroso, na semana passada sobre uma apocalíptica ‘visão afectada pelos países em crise no sul da Europa podem ser vítimas de golpes militares ou rebeliões populares porque ao disparar as taxas de juros, o colapso dos serviços públicos pode ser devido aos seus governos funcionarem fora do dinheiro.

O aviso foi lançado, tornou-se evidente que o líder de governo da UE começou a trabalhar em um pacote de emergência para a Espanha, que poderia potencialmente se transformar em centenas de bilhões de libras.

O Vice-Primeiro-Ministro, Nick Clegg, que visitou Madrid na semana passada, disse que a situação em Espanha deve servir como um alerta para a Grã-Bretanha por causa dos perigos resultantes da incapacidade de resolver o déficit rapidamente.

Ele disse que o colapso da confiança na Espanha, foi precedida por uma onda de interesses, e acrescentou: “Como a nação com o maior déficit na Europa em 2010, não podemos fazer-nos admitir que isso possa vir a acontecer conosco. »

Barroso revelou a preocupação a alto nível em Bruxelas, que da crise económica ao colapso, não só é do euro em dificuldades, mas também de se conduzir a própria UE, juntamente com um número de democracias frágeis.

No entanto, isso traz o risco de ofender os governos do sul da Europa, que já lutam agora para conter a ira do público, enquanto prosseguem os aumentos de impostos e cortes de gastos na tentativa de evitar uma catástrofe.

A falência iminente da Espanha, uma das principais economias da Europa, prevê uma ameaça muito maior para a unidade europeia e o projecto europeu do que a Grécia.

A Grécia contribui com apenas 2,5 por cento do produto interno bruto. Espanha com quase doze por cento.

No final do mês passado baixou o rating de crédito da agência Fitch Espanha, provocando uma queda drástica dos preços nos mercados de capitais.

Ainda em Madrid a administração presente, insistiu, que nenhuma operação de resgate era necessária. Mas a Grécia não tinha dito a mesma coisa antes da catástrofe que se aproximáva.

Os líderes devem discutir um pacote de resgate para a economia cambaleante de Espanha. Em Espanha é esperado para o início, uma garantia de pelo menos 100 000 000 000 [100 000 000 000] British Pound [120 000 000 000 €], embora este número podds aumentar drasticamente se a crise se agrava.

//-