Os Planos Ocultos do Clube Bilderberg

Um mundo de intrigas e secretismo. Passe a saber o que nunca antes foi revelado!

Desde que se reuniram pela primeira vez no Hotel Bilderberg, em 1954, com o objetivo de reforçar as relações entre os EUA e a Europa e impedir outro conflito global depois da Segunda Guerra Mundial, os homens mais poderosos do mundo cumprem anualmente este ritual e durante um fim-de-semana planeiam os destinos da Humanidade, estejam eles relacionados com questões económicas e políticas ou com relações internacionais. Intitularam-se o Clube Bilderberg e este é constituído por nomes tão sonantes quanto Bill Clinton, Tony Blair, Paul Wolfowitz, Henry Kissinger, David Rockefeller, entre outros politicos mais modernos.

O grupo tem cerca de 130 líderes políticos de elite — e há entre os convidados figuras importantes da indústria, finanças, academia e da mídia do mundo inteiro.

Não importa quais jornais você leia, canais de TV você assista ou rede social que você use, provavelmente será impossível ler relatos sobre esse encontro, porque nenhum jornalista vai presenciar a conferência — eles são todos proibidos de entrar.

Mais de 50 encontros foram realizados, mas a imprensa nunca teve acesso nem às conclusões nem à ordem de trabalhos destas reuniões. De que falam os homens mais poderosos do mundo? Que influências têm estes sobre os nossos destinos? O autor responde-nos exactamente a estas questões, e a muitas mais, provando-nos que este Clube tem ramificações bem enraizadas por todo o planeta.

O Clube Bilderberg trabalha há décadas na sombra, com o objectivo de controlar o mundo em todos os sentidos, como se fossem Deus na terra. Alguns dos seus planos estratégicos são:

– Formar um só governo planetário, com um único comércio globalizado, com um só exército e uma moeda única regulada pelo banco mundial.

– Uma igreja universal que canalizará as pessoas para os desejos da nova ordem mundial. O resto das religiões será destruído.

– Serviços internacionais que completarão a destruição de qualquer identidade nacional através da subversão a partir do interior. Só se permitirá que floresçam os valores universais.

– O controlo da humanidade através de meios de manipulação mental. Na nova ordem mundial não haverá classe média, apenas servidores e governantes.

– Uma sociedade pós-industrial de crescimento zero, que acabará com a industrialização e a produção de energia elétrica nuclear (excepto para as industrias de computadores e serviços).

– O crescimento zero é necessário para destruir os vestígios de prosperidade e dividir a sociedade em proprietários e escravos. Quando há prosperidade, há progresso, o que torna a repressão mais difícil.

– Crises artificiais para manter as pessoas num eterno estado de desequilíbrio físico, mental e emocional. Confundirão e desmoralizarão a população para evitar que decidam o seu destino, sem possibilidade de escolha gerar-se-á uma maior apatia.

– Um controlo férreo sobre a educação com o propósito de a destruir. Para os globalizadores é mais fácil lutar contra adversários sem princípios, sem instrução, sem educação ou família. Quanto mais baixo for o nível intelectual dos indivíduos, menor a capacidade de resistência ao sistema imposto. Para o conseguirem não só manipularam as escolas e as empresas, como se apoiaram na arma mais letal, a televisão e os programas lixo para embrutecer. (Estes esforços já estão a dar bons e bem visíveis resultados).

– O sistema de saúde é um meganegócio ao serviço do poder destes senhores do mundo. O estado global necessita de populações frágeis, que se deixem controlar e fiquem agradecidas. Redução da natalidade com recurso ao aborto, redução da vida com eutanásia, degradação antropológica humanidade, inversão de valores e, o poder do recurso à droga, fundamental para adormecer e matar lentamente. De referir que estas ideias já estiveram subjacentes à organização do festival Woodstock e ao movimento hippy nos Estados Unidos.

– Por fim e não menos importante, ter o controlo total e absoluto de todos os órgãos de informação, jornalismo, televisão, cinema, teatro, música e restantes entretenimentos. (Um outro campo que já nos foi possível constatar em abundância).

Uma parceria bem elaborada graças à ONU, à UNICEF, à OMS, com centenas de ONGs e outras tantas instituições criadas para este fim, com recursos económicos do financeiro George Soros, cuja cruzada tem sido a destruição do conceito de família e da religião judaico-cristã.

Os bilderbergers controlam quase tudo, porém ainda está longe a subjugação total da população. Agora que o seu secretismo está a ser abalado, que muito já se sabe sobre os seus planos maléficos e destruidores, resta a esperança de que os seus pés de barro permitam uma diminuição de poderes e um novo alvorecer mais livre e virtuoso para toda a humanidade.

//-

Seja o primeiro a comentar on "Os Planos Ocultos do Clube Bilderberg"

Deixe um comentário

O seu e-mail não será publicádo.